05 maio 2018

CÂNCER - REFORMA INTERIOR TAMBÉM CURA

Resultado de imagem para reforma interior
O que é a reforma íntima ?
Entre muitos conceitos possíveis, podemos afirmar que é o esforço que o ser humano faz para se melhorar moralmente.
Para quê a reforma íntima ?
Porque sendo todos nós espíritos imortais em experiência terrena, sem esse esforço individual para nos melhorarmos moralmente, não podemos crescer e evoluir espiritualmente.
Como fazer a reforma íntima ?
Através do auto-conhecimento e do autoaperfeiçoamento moral.

O espírito Joanna de Angelis, no livro “O homem integral”, psicografia de Divaldo Franco, afirmou que:
“O homem é o único animal ético existente.
Para adquirir a condição de uma consciência ética é convidado a desafios contínuos, graças aos quais discerne o bem do mal, o belo do feio, o lógico do absurdo, imprimindo-se um comportamento que corresponda ao seu grau de compreensão existencial.”

Livro dos Espíritos – questão 919
Qual o meio prático mais eficaz para se melhorar nesta vida e resistir ao arrastamento do mal ?
“Um sábio da Antiguidade vo-lo disse: “Conhece-te a ti mesmo”

No templo de Delfos na Grécia encontramos esta inscrição:
«Advirto-te, sejas quem fores... Tu! Que desejas sondar os arcanos da Natureza, se não encontras dentro de ti aquilo que procuras... tampouco o poderás encontrar fora. Se ignoras as excelências da tua própria casa, como poderás encontrar outras excelências? Em ti se encontra oculto o tesouro dos tesouros! Homem!... Conhece-te a ti mesmo e conhecerás o Universo e os Deuses.»

a) Concebemos toda a sabedoria desta máxima: porém, a dificuldade é, precisamente, a de se conhecer a si mesmo; qual o meio de consegui-lo ?

“Fazei o que eu mesmo fazia, quando vivi na Terra: no final do dia, interrogava a minha consciência, passava em revista o que tinha feito e me perguntava se não havia faltado ao cumprimento de algum dever, se ninguém tivera motivo de se queixar de mim. Foi assim que cheguei a conhecer-me e a ver o que em mim precisava de reforma.

Aquele que, todas as noites, relembrasse todas as suas ações do dia e se perguntasse o que fez de bem ou de mal, rogando a Deus e ao seu anjo da guarda que o esclarecessem, adquiriria uma grande força para se aperfeiçoar, pois crede-me. Deus o assistiria. 

Perguntai, portanto, a vós mesmos e interrogai-vos sobre o que tendes feito, e que com objectivo agiste em tal circunstância; se fizestes alguma coisa que censuraríeis nos outros; se praticastes uma acção que não ousaríeis confessar.

Perguntai ainda isto: Se aprouvesse a Deus chamar-me neste momento, teria eu que temer o olhar de alguém, ao voltar ao mundo dos Espíritos, onde nada fica oculto? Examinai o que podeis ter praticado contra Deus, depois, contra o vosso próximo e, finalmente, contra vós mesmos. As respostas serão um repouso para a vossa consciência ou a indicação de um mal que precisa ser curado.

O conhecimento de si mesmo é, portanto, a chave da melhoria individual; mas, direis, como julgar-se a si mesmo ? Não teremos a ilusão do amor-próprio que diminui as faltas e as torna desculpáveis ?
., mas tendes um meio de controle que não pode enganar-vos. Quando estiverdes indeciso sobre o valor de uma das vossas ações, perguntai a vós mesmos como a qualificaríeis, se ela não poderia ser legítima em vós, pois Deus não tem duas medidas para a justiça.” “Que aquele que tem a vontade séria de se melhorar explore, portanto, a sua consciência, a fim de arrancar dela as más inclinações, como arranca as ervas daninhas do seu jardim; que faça o balanço do seu dia moral, …” “Fazei, portanto, perguntas claras e precisas e não temais multipicá-las; pode-se muito bem gastar alguns minutos para conquistar a felicidade eterna.

Há três caminhos do processo de auto-consciência:
1º - A descoberta do eu: quem sou, de onde vim, para onde vou;
2º - O enriquecimento do eu – conhecer para ser
3º - A vivência - que é a aplicação de toda a ética decorrente desse processo que nos leva a transformar-nos e a informar-nos.

Questão 908, do Livro dos Espíritos
Como definir o limite onde as paixões deixam de ser boas
ou más ?
- “As paixões são como um cavalo que é útil, quando é
dirigido, mas se torna perigoso, quando é ele quem dirige.
Reconhecei, portanto, que uma paixão se torna perniciosa, no
momento em que deixais de poder governá-la e quando tem como
resultado um prejuízo qualquer, para vós ou para os outros.”

Questão 911
Não existem paixões tão vivas e irresistíveis que a
vontade seja impotente para dominá-las ?
“Há muitas pessoas que dizem: Eu quero, mas a vontade está
apenas nos lábios; querem, mas ficam muito contentes de que tal não
aconteça. Quando o homem acredita que não pode vencer as suas
paixões, é o Espírito que nelas se compraz, em consequência da sua
inferioridade. Aquele que procura reprimi-las compreende a sua
natureza espiritual; vencê-las é, para ele, um triunfo do Espírito sobre a
matéria.”

Questão 913
Entre os vícios, qual é o que se pode considerar com radical ?
“Já o dissemos muitas vezes: é o egoísmo; daí deriva todo o mal.
Estudai todos os vícios e vereis que, no fundo de todos, há o egoísmo; de
nada valerá combatê-los, pois não chegareis a extirpá-los, enquanto não
tiverdes atacado o mal pela raiz, enquanto não tiverdes destruído a causa.
Que todos os vossos esforços tendam, portanto, para esse objectivo, pois aí
está a verdadeira chaga da sociedade. Todo aquele que quiser aproximarse,
desde esta vida, da perfeição moral, deve extirpar do seu coração
qualquer sentimento de egoísmo, pois o egoísmo é incompatível com a
justiça, o amor e a caridade: ele neutraliza todas as outras qualidades.”

E, assim, são nossos companheiros de percurso: a antipatia, arrogância, ciúme, cólera, comodismo, deslealdade, desprezo, desumanidade, falsidade, ganância, impiedade, individualismo,
inflexibilidade, ingratidão, insensibilidade, inveja, ira, irresponsabilidade, maldade, materialismo, narcisismo, ódio, pessimismo, preguiça, prepotência, raiva, rancor, ressentimento, teimosia, torpeza, vaidade, vingança.

“A reforma íntima é um trabalho processual.
Processual significa aquilo que obedece a uma sequência.
Em conceito bem claro, é a habilidade de lidar com as caraterísticas da personalidade melhorando os traços que compõem suas formas de manifestação. Caráter, temperamento, valores, vícios, hábitos e desejos são alguns desses caracteres que podem ser renovados e aprimorados.”

Nunca se compraz em rebuscar os defeitos alheios, nem, ainda, em evidenciá-los. Se a isso se vê obrigado, procura sempre o bem que possa atenuar o mal.
Estuda suas próprias imperfeições e trabalha incessantemente em combatê-las. Todos os esforços emprega para poder dizer, no dia seguinte, que alguma coisa traz em si de melhor do que na véspera.
Não se envaidece da sua riqueza, nem de suas vantagens pessoais, por saber que tudo o que lhe foi dado pode ser-lhe tirado.
Usa, mas não abusa dos bens que lhe são concedidos, porque sabe que é um depósito de que terá de prestar contas e que o mais prejudicial emprego que lhe pode dar é o de aplicá-lo à satisfação de suas paixões.
Se a ordem social colocou sob o seu mando outros homens, trata-os com bondade e benevolência, porque são seus iguais perante Deus; usa da sua autoridade para lhes levantar o moral e não para os esmagar com o seu orgulho. Evita tudo quanto lhes possa tornar mais penosa a posição subalterna em que se encontram.
Evangelho segundo o Espiritismo – cap. XVII item 3 – Sede perfeitos – O homem de bem

(Mateus, 7: 12)
“Fazei aos homens tudo o que desejais que eles vos façam, pois esta é a lei e os profetas.”
(Lucas, 6: 31)

“Tratai todos os homens da mesma maneira que quereis que ele vos tratem.”

A reforma íntima é, pois, o renovar das nossas esperanças interiores, objetivando o fortalecimento da fé, a solidificação do amor a si próprio e ao próximo, a incessante busca do perdão, o cultivo dos pensamentos positivos, finalizando no aperfeiçoamento do ser, num esforço constante que os seres humanos fazem para se melhorarem moralmente.

Temos de aproveitar as oportunidades de vivência terrestre, reencarnação por reencarnação, de forma a ultrapassarmos os níveis que nos conduzem à casa do Pai.
Extraído de palestra realizada na Associação Espirita Luz e Amor

Podemos ter certeza que a reforma interior cura, não só o espirito, mas também cura as doenças que provocamos com nossas imperfeições. 
Tente, procure ajuda, busque, Deus esta a sua espera.
Contatos: rbrvallejo@gmail.com e cirurgia espiritualereforma@gmail.com

07 abril 2018

CÂNCER - DOENÇA, ENFERMIDADE, SINTOMAS, CURA.

Resultado de imagem para DOENÇAS E CURAS
Faz-se necessário saber distinguir doença e enfermidade, vocábulos popularmente considerados sinônimos. O significado é diverso, não é a mesma coisa. As Ciências da Saúde designam doença como um distúrbio das funções de um órgão, da psique ou do organismo, visto como um todo, que pode estar associado a sintomas específicos. A doença é, pois, “condição de não estar bem.[...] Uma condição patológica do corpo, que apresenta um grupo de sinais e sintomas clínicos e de achados laboratoriais peculiares à condição e que classifica a condição como uma entidade anormal, diferente de outros estados orgânicos normais ou patogênicos”.

Doença é sempre entendida como um distúrbio (patologia) tangível, que pode ser mensurado, e que é produzida por fatores externos (p. ex., infecções por micro-organismos) ou por mal funcionamento interno do organismo (doenças autoimunes, metabólicas, genéticas, congênitas, traumáticas etc.), em geral revelados por sinais e sintomas. Sinais são alterações no organismo que podem indicar adoecimento, percebidas ou medidas por profissionais de saúde. 

Sintomas são alterações relatadas pelo paciente. Enfermidade, por outro lado, é uma manifestação individual e pessoal. Aquilo que o paciente sente ou percebe. Por exemplo:
 “uma pessoa pode ter uma doença séria, como a hipertensão, mas sem sentir dor ou sofrimento, e assim não estará enferma. Por outro lado, a pessoa pode estar extremamente enferma, p. ex., com histeria ou enfermidade mental, mas sem evidência de doença, segundo a avaliação das alterações patológicas do corpo”.

Emmanuel faz os seguintes comentários a respeito do conceito de saúde: "Para o homem da Terra, a saúde pode significar o equilíbrio perfeito dos órgãos materiais; para o plano espiritual, todavia, a saúde é a perfeita harmonia da alma, para obtenção da qual, muitas vezes, há necessidade da contribuição preciosa das moléstias e deficiências transitórias na Terra".

Segundo a Doutrina Espírita, qualquer doença ou enfermidade, por mais superficiais que sejam, têm raízes no Espírito, nas experiências vividas pelo Espírito:
As chagas da alma se manifestam através do envoltório humano. O corpo doente reflete o panorama interior do espírito enfermo. A patogenia é um conjunto de inferioridades do aparelho psíquico.

 Em outra oportunidade, Emmanuel, também nos lembra: A doença sempre constitui fantasma temível no campo humano, qual se a carne fosse tocada de maldição; entretanto, podemos afiançar que o número de enfermidades, essencialmente orgânicas, sem interferências psíquicas, é positivamente diminuto. A maioria das moléstias procede da alma, das profundezas do ser. Não nos reportando à imensa caudal de provas expiatórias que invade inúmeras existências, em suas expressões fisiológicas, referimo-nos tão somente às moléstias que surgem, de inesperado, com raízes no coração.

Quantas enfermidades pomposamente batizadas pela ciência médica não passam de estados vibratórios da mente em desequilíbrio? Qualquer desarmonia interior atacará naturalmente o organismo em sua zona vulnerável. Experimentar-lhe-á os efeitos no fígado, outro, nos rins e, ainda outro, no próprio sangue. Em tese, todas as manifestações mórbidas se reduzem a desequilíbrio, desequilíbrio esse cuja causa repousa no mundo mental.

Ante essas orientações, a cura das doenças e das enfermidades reside no próprio Espírito: E é ainda na alma que reside a fonte primária de todos os recursos medicamentosos definitivos. A assistência farmacêutica do mundo não pode remover as causas transcendentes do caráter mórbido dos indivíduos. O remédio eficaz está na ação do próprio espírito enfermiço.

Ponderemos, contudo, que a despeito das doenças terem raízes espirituais, o homem pode e “deve mobilizar todos os recursos ao seu alcance em favor do seu equilíbrio orgânico. Por muito tempo ainda, a Humanidade não poderá prescindir da contribuição do clínico, do cirurgião, do farmacêutico, missionários do bem coletivo. O homem tratará da saúde do corpo até que aprenda a preservá-lo e defendê-lo, conservando a preciosa saúde de sua alma”.

Sendo assim, os estados de saúde e doença estão diretamente relacionados às escolhas que o indivíduo faz, ao bom e mau uso do livre-arbítrio, uma vez que, na vida, a lei de causa e efeito funciona inexoravelmente, ainda que sempre atenuada pela misericórdia divina:
[...] é justo recordar que a criatura, durante a reencarnação, elege, automaticamente, para si mesma, grande parte das doenças que se lhe incorporam às preocupações.

Em suma, a prevenção e o tratamento de doenças e de enfermidades restringem-se à prática do bem, que é “o único antídoto eficiente contra o império do mal em nós próprios”.

Fonte Revista Reformador de SETEMBRO de 2012
Orações e ajuda espiritual: cirurgiaespiritualerefoma@gmail.com
rbrvallejo@gmail.com

21 março 2018

CÂNCER - ORAR, REZAR, CURA

Resultado de imagem para CÂNCER - ORAR, REZAR, PRECE
"Não vamos dramatizar a dor! A prova, seja ela qual for, não vem para esmagar, mas para induzir a crescer. A pedra de tropeço pode ser transformada em degrau. Está no próprio homem escolher ser abismo ou ponte"
 Chico Xavier

Uma das mais expressivas mensagens de Jesus encontra-se no evangelho de Marcos, capítulo XI, v.24: "O que quer seja que pedirdes na prece, crede que o obtereis, e vos será concedido."

É a famosa expressão: "pedi e obtereis".

Entretanto, muitas pessoas, incluindo membros de ordens religiosas, inclusive espíritas, têm dificuldade de acreditar na eficácia da prece. Isto ocorre porque talvez não saibam realmente o que é uma prece.

O estudo da doutrina espírita permite adquirir visão mais clara do poder da oração e dos pedidos ao Pai celestial.

O grande objetivo desta doutrina é a reforma íntima de seus adeptos, particularmente a elevação da qualidade da maneira de pensar.

Na questão de número 459 de " O Livro dos Espíritos" , Kardec nos explica que vivemos constantemente sob a influência dos habitantes do mundo espiritual.

Existe um intercâmbio intenso entre nós, espíritos encarnados, e aqueles já desencarnados.

Estes, habitantes do plano espiritual, podem ser evoluídos ou ainda se encontrarem em estágios inferiores da evolução.

A prece permite obter a influenciação da parcela mais evoluída e mais amorosa do mundo espiritual. Segundo Kardec, a prece é uma invocação, através da qual um ser se coloca em comunicação mental com outro ser, ao qual se dirige. Pode ter como objetivos fazer pedidos ou agradecimentos ou simplesmente para glorificação de Deus, em ato de humildade.

Segundo vários autores, o governo espiritual é muito bem organizado e se preocupa com o bem estar e o progresso dos espíritos encarnados. Existem numerosas equipes que vivem para socorrer.

As preces dirigidas a Deus são ouvidas pelos espíritos encarregados da execução das suas vontades.

Podemos orar para outros seres, na qualidade apenas de intermediários. Mas, Deus é o grande receptor das vibrações das preces. É a autoridade maior, absoluta e amorosa.

Para entendermos os mecanismos de ação da prece precisamos lembrar que nos encontramos mergulhados no que Kardec denominou de fluido cósmico universal, que ocupa todos espaços do universo. Este fluído recebe os impulsos da vontade. Ele é o veículo das vibrações do pensamento, como o ar é o veículo das vibrações do som. A diferença está no fato de que no ar as vibrações sonoras são limitadas. No fluído cósmico universal as vibrações do pensamento se estendem ao infinito.

Assim, as preces sempre são ouvidas pelos espíritos em quaisquer lugares onde se encontrem. Víctor Hugo refere-se aos "centros de registros e avaliação das rogativas humanas " espalhados pelas províncias próximas da Terra, que recebem as solicitações, examinam a importância e urgência dos pedidos, respondendo conforme o caso.

O espírito Patrícia nos informa que em todas colônias espirituais, espalhadas pelo mundo espiritual em torno da terra, existe um "Departamento de pedidos" em que cada prece é anotada, analisada e classificada para se decidir sobre seu atendimento.

Víctor Hugo explicou que o espírito que ora, emite vibrações teledinâmicas que se dirigem ao mundo espiritual e retornam para este mesmo espírito. O benefício da prece pode ser instantâneo, no momento exato da prece, por receber ondas benéficas, reconfortantes e de pensamento otimista. A vibração da mente em oração sincroniza com as ondas teledinâmicas do mundo espiritual superior, atraindo atenção e interesse dos espíritos encarregados do equilíbrio na terra.

A prece harmoniza o tom vibratório do indivíduo, revitaliza o metabolismo perispiritual, reorganizando o campo das moléculas, resultando em ação salutar.

Assim a prece evita doenças originárias de vibrações desorganizadas da mente desequilibrada.

Recentemente, a imprensa brasileira divulgou resultados de estudos que concluíram que, pessoas acostumadas à prática da oração gozam de mais saúde.

Na realidade os efeitos benéficos da prece podem ser observados no indivíduo, nas pessoas que com ele mais se relacionam e no ambiente que fica mais harmonizado, com psicosfera balsâmica, agradável e calmante.

De fato é agradável o ambiente de templos, de mosteiros e de casas espíritas onde se pratica a prece autentica.

Os locais de oração são bem vistos pelo plano espiritual.

Entretanto é importante lembrar que o poder da prece está no pensamento.

A energia da corrente depende do vigor do pensamento e da vontade de quem ora.

Ela não depende de palavras, de vestimentas, nem de cerimoniais. Preces decoradas, sem sentimento, são pouco eficazes.

Mas, a prece não pode ter por efeito mudar os desígnios de Deus, nem derrogar as leis divinas. Entretanto, o espírito que ora encontra sempre alívio, conforto e forças para viver as experiências de que necessita para sua evolução.

A prece é importante para tudo. Ajuda no trabalho. Socorre na família. Serve para apaziguar inimigos, arrefecer adversários e tornar agradáveis pessoas antipáticas.

Ao invés de combater deveríamos orar.

A prece quebra a desarmonia. Fazer uma súplica a Deus pelo bem estar de um inimigo, seria mostra de boa disposição para seguir a Jesus, que pediu que déssemos amor para nossos inimigos.

Segundo Víctor Hugo "Orar é inundar-se de forças poderosas do mundo invisível para atuar com segurança no mundo das formas visíveis".

Menciona esse habitante iluminado do espaço, o chamado efeito bumerangue de nossos atos e pensamentos: as vibrações que emitimos retornam para nós, às vezes com intensidade maior. Vibrações de ódio e desequilíbrio retornam avassaladoras . A prece amorosa retorna calmamente , confortadora .

Precisamos nos educar para o hábito da prece antes de dormir , no lar , no trabalho . Ao trabalhar com amor , ao servir com desvelo, estamos fazendo a vontade do pai. É oração .

Joanna de Ângelis recomenda que seria ótimo se conseguíssemos viver sempre em estado de prece. Seria uma grande reforma intima . imprimir em nosso pensamento teor vibratório permanente de equilíbrio, de paz, de amor, de prece..

Dany Garcia

Pedidos de oração e ajuda espiritual: rbrvallejo@gmail.com / cirurgiaespiritualereforma@gemail.com

06 março 2018

CÂNCER - Para todos os males só existe um medicamento de eficiência comprovada.

Resultado de imagem para prece e cura segundo o espiritismo
Onde quer que você esteja, seja a alma deste lugar...
Discutir não alimenta. 
Reclamar não resolve. 
Revolta não auxilia. 
Desespero não ilumina. 
Tristeza não leva a nada. 
Lágrima não substitui suor. 
Irritação intoxica. 
Deserção agrava. 
Calúnia responde sempre com o pior. 
Para todos os males, só existe um medicamento de eficiência comprovada. 
Continuar na paz, compreendendo, ajudando, aguardando o concurso sábio do Tempo, 
na certeza de que o que não for bom para os outros não será bom para nós...
Pessoas feridas ferem pessoas.
Pessoas curadas curam pessoas.
Pessoas amadas amam pessoas.
Pessoas transformadas transformam pessoas.
Pessoas chatas chateiam pessoas.
Pessoas amarguradas amarguram pessoas.
Pessoas santificadas santificam pessoas.
Quem eu sou interfere diretamente naqueles que estão ao meu redor.
Acorde…
Se cubra de Gratidão, se encha de Amor e recomece… 
O que for benção pra sua vida, Deus te entregará, e o que não for, ele te 
livrará! 
Um dia bonito nem sempre é um dia de sol…
Mas com certeza é um dia de Paz.
Chico Xavier
Contatos: cirurgiaespiritualereforma@gmail.com

22 fevereiro 2018

CÂNCER - QUAL A CAUSA DOS SOFRIMENTOS?

Resultado de imagem para SOFRIMENTOS?

Precisamos compreender que, nós não estamos neste planeta estagiando em uma colônia de férias, nem desfrutando de viagem turística.
Segundo a definição da Doutrina Espírita, vivemos num Planeta de Expiações e Provas onde os moradores são devedores perante a lei divina e a “DOR” é a representante da Justiça Divina. Ela cobra nossas dívidas do passado e testa aquisições do presente.
Kardec comenta longamente no cap. V, nos itens 4 a 10 no O Evangelho segundo o Espiritismo, que as causas dos males que enfrentamos estão na vida atual e na vida passada. Vejamos:

CAUSAS ATUAIS: exprimem equívocos do presente. Exemplo: nosso corpo físico é uma incrível máquina de peças vivas de que nos servimos para evoluir. O problema são os maus-tratos a que a submetemos, em vários aspectos: alimentação: quando excessiva ou inadequada, altera a química orgânica, acumula gordura, provoca distúrbios gástricos, digestivos, circulatórios, hormonais; exercício: vida sedentária é caminho da obesidade, da obstrução das artérias, da indisposição física; repouso: déficit de sono traz cansaço, debilita o sistema imunológico, perturba a memória, favorece a evolução de doenças variadas; vícios: fumo, álcool, drogas que causam desarranjos graves, degenerativos, aniquiladores; sentimentos: prepotência, luxúria, pessimismo, ódio, rancor, ressentimento, mágoa, preguiça, desânimo, angústia, revide, inveja, falta de perdão, vingança, egoísmo, orgulho, violência, ganância, etc., que pressionam nosso psiquismo, repercutindo na máquina física como contundentes agressões. Esses fatores complicam a existência. Culpamos o destino, a família, a sociedade, a Vida....há até quem culpe Deus. No entanto, se bem observarmos, a origem está em nós mesmos, no comportamento, na maneira de ser.

CAUSAS ANTERIORES: dizem respeito a equívocos do passado, em pretéritas existências, gerando os males presentes, atendendo aos princípios de causa e efeito que nos regem. Limitações físicas congênitas, mortes prematuras, enfermidades graves, família difícil, problemas financeiros, dificuldades profissionais e variadas outras situações, se não justificadas pelo “hoje”, tem sua origem no comportamento desajustado do “ontem”. Atingem, não raro, pessoas caridosas, de bons princípios, que não fazem mal a ninguém. Se não fosse a reencarnação seria difícil acreditar que Deus é justo. Há espíritos evoluidos que pedem resgates difícies para acelerar sua evolução; outros reencarnam para ajudar uma família, um grupo, um país, etc,. No caso de Jesus, ele não tinha débitos, mas encarnou para trazer ensinamentos importante para os habitantes do planeta. Neste caso, ele não sofreu por dever algo à lei divina, mas pela ignorância dos habitantes do planeta. Mas, não devemos esquecer que as cobranças cármicas são sempre compatíveis com nossa capacidade de resgate. "Deus não dá um fardo maior que podemos carregar" (ICo, 10:13). O pagamento é em suaves prestações e não precisa ser através da dor, pode ser através do amor: "o amor cobre multidões de pecados" (I Pedro, 4:8). Mas, o que devemos entender é que, devemos pagar e não adquirir novas dívidas.
A medicina do futuro será essencialmente profilática.
Antes de receitar medicamentos, que cuidam de efeitos, os médicos deverão identificar as causas no comportamento do paciente.

O que faz, o que pensa, o que sente, o que come, como se exercita, como dorme, como trabalha, como se relaciona com as pessoas, os sentimentos que cultiva, etc.
E lhe prescreverão não só medicamentos, mas também atitudes, corrigindo a postura existencial para que a saúde se estabeleça.

Joanna de Ângelis disse: “A dor é a ausência do amor.” Ela quis dizer que, enquanto não aprendermos a amar nosso corpo físico, o próximo e a tudo que convivemos neste planeta continuaremos a adoecer e, consequentemente, sofreremos. Se não for nesta encarnação será em outras. Renasceremos quantas vezes forem necessárias para aprendermos a AMAR.

Fonte: GRUPO DE ESTUDO Allan Kardec
Contatos:  cirurgiaespiritualereforma@gmail.com

07 fevereiro 2018

CÂNCER - A DOENÇA NÃO ACONTECE POR ACASO

Resultado de imagem para a doença é por acaso?

1. A doença não acontece por acaso, ela tem uma origem espiritual.
De fato, não podemos atribuir ao acaso a doença que nos atinja, pois não existe acaso no Universo, que é inteiramente regido por leis divinas, naturais, perfeitas e imutáveis.

A origem espiritual da doença explica-se assim:
a) a ação insuficiente ou desequilibrada do espírito (do próprio enfermo ou por influência de outrem, como na obsessão) poderá prejudicar o perispírito, desarmonizando-o, deixando-o em carência vibratória;
b) como o perispírito influi sobre o corpo físico, com o qual está em íntima e constante relação, transmitirá a ele essa desarmonia ou carência vibratória;
c) o corpo, por sua vez, ficando prejudicado, apresentará a doença, ou permitirá a eclosão daquela que já trazia em estado potencial, ou não conseguirá evitar que se instale a que lhe vier do exterior.

Portanto, ainda que não tenha causa evidente ou pareça ser somente um problema físico, a doença sempre tem, basicamente, uma origem espiritual, sendo que a causa poderá ter se dado na existência atual ou em encarnação anterior. Jesus afirmava haver relação espírito-corpo nas enfermidades quando, ao curar alguém, lhe dizia: "os teus pecados estão perdoados." Por "pecados" entendemos "desequilíbrios espirituais", cujos efeitos Jesus sanava.

2. A doença guarda relação com o estado evolutivo do ser. 
É devido ao nosso atual estágio de evolução que:
 a) nascemos na Terra, mundo em que a matéria é grosseira e há doenças. Ex.: gripe, catapora, etc.;
 b) aproveitamos para reencarnar em determinada família em que a hereditariedade causa certa doença ou a ela predispõe, para ressarcir débitos (a não ser que tenhamos condições espirituais para superá-las, podendo nos tornar auxiliares de nossos familiares).
Ex.: cegueira; c) trazemos, em nosso perispírito, determinação ou predisposição para alguma doença, como conseqüência da ação espiritual por nós exercida em vidas anteriores.
Ex: quem lesou o pulmão com o cigarro, estará predisposto a doenças relacionadas com o pulmão, como asma, bronquite, tuberculose, etc.;
d) habitamos obrigatoriamente determinado meio ambiente, que é favorável ou não a enfermidades; e) sabemos ou não como cuidar do corpo, prevenir enfermidades, e a isso nos aplicamos ou não. Kardec: "As doenças fazem parte das provas e vicissitudes da vida terrena são inerentes à grosseria da nossa natureza material e à inferioridade do mundo que habitamos.

As paixões e excessos de toda ordem semeiam em nós gérmens malsãos, às vezes hereditários.
" É, ainda, conforme nossa evolução espiritual que:
 a) exercemos efeitos fluídicos bons ou maus sobre o nosso perispírito, que repercutem no corpo físico;
b) atraímos bons espíritos, que nos influenciam com seus fluidos benéficos, ou espíritos maus, sofredores, de fluidos maléficos ou enfermiços.
Para nós, espíritos encarnados na Terra, as doenças ainda continuarão a ser fato inevitável, porque inerentes ao nosso presente estado evolutivo, por enquanto necessárias ao nosso desenvolvimento intelecto-moral.
O Espiritismo não só nos informa sobre a origem espiritual das doenças. Revela-nos, também, os meios espirituais de as prevenir, superar ou suportar.

Quando é que a enfermidade tende a aparecer? 
Quando nos perturbamos ou desequilibramos física ou espiritualmente, de modo intenso e demorado (por nós mesmos ou sob influência alheia), pois com o desgaste fluídico ou a assimilação de fluidos maus (de outros ou do ambiente) a resistência natural é quebrada, ficando o organismo mais exposto à eclosão de enfermidade ou a contraí-las do exterior.

Todas as pessoas podem ser curadas? 
É lícito buscar a cura. Mas não se pode exigi-la, porque dependerá: a) das condições de atração e fixação dos fluidos curadores por quem os irá receber (fé, afinidade fluídica);
b) do merecimento ou necessidade espiritual do enfermo. Quando uma pessoa tem merecimento, ou sua existência precisa continuar, ou as tarefas a seu cargo exigem boa saúde, a cura poderá ocorrer em qualquer tempo e lugar e, até , mesmo, sem intermediários (aparentemente, porque ajuda espiritual sempre terá havido).

Mas, às vezes, o bem do doente está em continuar sofrendo aquela dor ou limitação que o reajusta e equilibra espiritualmente; então, pensamos que, nossa prece não foi ouvida; mas a prece sempre terá produzido algum benefício (alívio, conforto, calma, coragem).

A doença é uma terapêutica da alma, dentro do mecanismo da evolução humana. É a filtragem, no corpo, dos efeitos prejudiciais dos desequilíbrios espirituais. Funciona, também, como processo que induz à reflexão e disciplina. Enquanto não produziu seus efeitos benéficos, não deve ser suprimida. De todos os enfermos que o procuravam, Jesus curou somente aqueles em quem os efeitos purificadores da enfermidades já haviam atingido seu objetivo reequilibrante, ou aqueles que já apresentavam condições para receberem esse auxílio no corpo físico.

Se não formos curados 
"Se, porém, mau grado aos nossos esforços, não o conseguirmos (ficar curados), devemos suportar com resignação os nossos passageiros males." (ESE) "Lembremo-nos de que lesões e chagas, frustrações e defeitos em nossa forma externa são remédios da alma que nós mesmos pedimos à farmácia de Deus." (Emmanuel) Quando curados, sejamos gratos Jesus curou um grupo de 10 leprosos e apenas um retornou para agradecer.

O Mestre indagou: - Não foram dez os limpos? Onde estão os outros nove? (Lc 17:17) Jesus não fazia questão do agradecimento pessoal. Mas quis ensinar:
a) A cura sempre representa uma concessão da misericórdia divina, que permitiu recebêssemos de outrem recursos para nos refazermos e sairmos da situação dolorosa e prejudicial em que estávamos. b) Quem é curado precisa reconhecer isso e ser grato a Deus e a quem se fez intermediário dessa bênção. Não ser grato pela cura revela que a pessoa não entendeu quanto lhe foi concedido e, provavelmente, não saberá valorizar nem conservar a bênção recebida.

 A falta de gratidão ante a cura física revela que a pessoa ainda não alcançou a cura mais importante e definitiva: a do espírito. Para não haver recaída Encontrando no Templo ao paralítico que havia curado no tanque em Betesda, Jesus lhe diz: - Olha que já estás curado; não peques mais para que não te suceda alguma coisa pior. (Jo 5:14). Restabelecido o equilíbrio fluídico, é preciso que a pessoa o mantenha pelos bons pensamentos, sentimentos e atos. Senão, poderá gerar novas lesões orgânicas ou predisposição para enfermidades.

A cura do corpo só se consolidará e terá um caráter mais duradouro se corrigirmos nossas atuais condições materiais e espirituais, que geraram a enfermidade. Mesmo assim, será uma cura temporária, porque o corpo não dura para sempre e, um dia, todos iremos desencarnar. Cura verdadeira e definitiva é a do espírito "Curai os enfermos", pedia Jesus aos seus discípulos, mas completava: "Anunciai-lhes: A vós outros está próximo o reino de Deus." (Lc 10:9) Que não apenas curassem corpos mas orientassem os enfermos para o entendimento e cumprimento das leis de Deus.

Porque a verdadeira cura, a do espírito.
Não se dá apenas pela eliminação dos sintomas da doença física, a qual é tão somente uma conseqüência. A verdadeira saúde é o equilíbrio e a paz que, em espírito, soubermos manter onde, quando, como e com quem estivermos.

E só depende de nosso ajuste espiritual às leis divinas. Reforma íntima, esforço para o bem, com o cultivo da fé, do estudo, da oração e da fraternidade, são o maior preventivo de enfermidades e o melhor fator de segurança para o nosso bem estar. Empenhemo-nos em curar males físicos, se possível. Lembremos, porém, que o Espiritismo "cura sobretudo as moléstias morais." Não queiramos dar maior importância à cura de corpos do que ao fim principal do Espiritismo, que é "tornar melhores aqueles que o compreendem" (RE 1859, pg. 183) Com a cura física, talvez a pessoa se afirme na fé e desperte para o bem.

Às vezes, porém, assim que se vê curada, se atira de novo ao desregramento, voltando a se prejudicar.

Mas quem aprende que precisa se aprimorar espiritualmente e nisso se empenha, quer alcance ou não a cura do corpo, encontrará o caminho para a cura verdadeira e duradoura, a manutenção do equilíbrio em seu espírito, o seu "eu" imortal.
Fonte: Doença e cura-Grupo de estudo Alan Kardec

Contatos: cirurgiaespiritualereforma@gmail.com
                rbrvallejo@gmail.com

28 janeiro 2018

CÂNCER - A DOR DA PERDA

Resultado de imagem para a dor da perda
A morte é algo inevitável. Uma das certezas que possuímos na vida, é que todos nós partiremos um dia. Perder uma pessoa querida é muito difícil e não existe um modo de estar preparado para dizer adeus a quem amamos. Para você que quer mais informações sobre como amenizar a dor da perda de pessoas queridas, nós preparamos esse texto.

COMPARTILHE SEUS SENTIMENTOS

Nos primeiros meses, muitas pessoas acabam tendo essa necessidade. Então, deixe que esses sentimentos sejam extravasados. Desabafar sobre o que está sentindo com um amigo ou outro ouvinte pode ajudar a aliviar a sensação de perda.

SAIBA QUANDO EVITAR FALAR SOBRE SUA PERDA

Entretanto, é necessário saber quando evitar falar sobre o assunto. É importante que você diga isso claramente as pessoas mais próximas e só toque no assunto quando se sentir confortável.

EVITE SE ISOLAR

Em alguns momentos, ficar sozinho pode parecer uma boa opção, mas é importante estar na companhia de amigos e familiares. Para recuperar a alegria, é extremamente necessário receber amor e conforto de pessoas que querem o melhor para você.

REORGANIZE SUA VIDA SEM PRESSA

Não tenha pressa para se adaptar a vida onde o ente querido não está mais presente. Seja paciente com sigo mesmo. Nos primeiros dias diminua a jornada de trabalho e as demais atividades e vá retomando a vida conforme for se sentindo preparado para isso.

NÃO SE SINTA CULPADO POR FICAR TRISTE

É importante saber que, mesmo após já ter passado algum tempo e ter estabilizado um pouco mais a vida, você vai se sentir mais triste e solitário em certos dias. Não se sinta culpado. Não existe um tempo exato para superar a perda e isso faz parte do processo.

E NEM POR VOLTAR A FICAR FELIZ

Com o tempo, você irá retomar o caminho da felicidade e não se sinta culpado quando esse momento chegar. A pessoa querida nunca será substituída ou esquecida, mas o tempo irá se encarregar de transformar essa dor, que parece tão lancinante nos primeiros dias, em uma saudade dos bons momentos vividos ao seu lado.

AJUDA PROFISSIONAL AS VEZES É NECESSÁRIA

Muitas vezes o sofrimento é tão intenso que pode levar a problemas emocionais graves e prolongados. Nesses casos, procurar ajuda de um terapeuta pode ser uma boa solução. As pessoas que procuram por esses profissionais para compartilhar seus sentimentos conseguem compreensão e ajuda para superar um momento traumático.
Apesar desses passos serem um caminho natural para amenizar a dor da perda, não existe um roteiro preestabelecido para superação. As pessoas e os acontecimentos são únicos. Por isso, apenas você pode definir o tempo e como isso vai ocorrer. Tenha calma e aceite seu ritmo.
Sempre faza uma reflexão sobre os fatos e sobre sua vida, trabalhe para mudar as coisas erradas e encontre caminhos de Paz e Amor.
Contatos: cirurgiaespiritualereforma@gmail.com