17 outubro 2010

ESPIRITISMO PODE AJUDAR PACIENTES COM CÂNCER




A espírita Marlene Nobre explica a relação entre o Espiritismo, a Medicina e a Fé, em evento promovida pela ABRALE (Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia).
Tratar o doente e não somente a doença. Cuidar também do espírito e não apenas do corpo. É essa a idéia que a ABRALE (Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia) pretende passar para pacientes de câncer, médicos e profissionais da saúde com uma série de palestras gratuitas sobre o Auxílio da Espiritualidade.

“A idéia de que o espírito é um agente importante no processo de tratamento e cura dos doentes está presente em muitas culturas ao redor do mundo há séculos. Os avanços na medicina atual também sinalizam que o paciente precisa ser considerado em sua totalidade”, explica Andréa Baptista, diretora da associação.

A relação do Espiritismo com a Medicina é de grande valor para a área da saúde em geral. “Na palestra, vou falar um pouco sobre essa contribuição, relembrar o modelo que o Cristo nos deixou para a saúde e ressaltar a necessidade de manter a chama viva da fé em nossos corações, ainda que os nossos corpos físicos estejam doentes”, conta. 


Nobre explica: “O Espiritismo leva as pessoas à certeza da bondade e da justiça de Deus, da continuidade da vida após a morte física, do amparo dos anjos da guarda e à explicação lógica da razão da dor. Com isso em mente, o paciente pode acalmar-se e confiar na Providência Divina”.

Afirma Nobre: “Minha intenção não é apenas ensinar, mas também aprender com os pacientes. Vou conversar com eles acerca da importância da fé e do encorajamento à saúde”, explica a palestrante, que acredita estar mais do que na hora de todas as religiões se respeitarem e procurarem atuar solidariamente, sobretudo, em benefício das pessoas que sofrem.

“Todo trabalho realizado com amor e vontade sincera de ajudar são benéficos à comunidade, sobretudo aos enfermos”, afirma Nobre.
Sem duvida alguma a ciência tem que começar a rever conceitos e formas de tratamentos pois já são inúmeros os casos que demonstram que a doença esta em cada paciente e se manifestando de forma diferente. 
Não queremos aqui dizer que se devem abandonar os tratamentos da medicina tradicional, ao contrario, tem que continuar, somente que os cuidados com o espírito tem demonstrado melhoras surpreendentes é inquestionáveis.
Emmanuel nos diz: “É muito importante combater as moléstias do corpo, mas ninguém conseguirá eliminar efeitos, quando as causas permanecem. Usa os remédios humanos, todavia inclina-te para Jesus e renova-te, espiritualmente, nas lições de seu amor. A doença, quando não seja a advertência das células queixosas do tirânico senhor que as domina, é a mensageira amiga, convidando a meditações necessárias”.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário