21 outubro 2010

QUANDO CHEGARÁ A CURA PARA O CÂNCER?


"A cura para o câncer não deverá surgir nos próximos dez anos" é o que afirma o articulista da Revista Time, Shannon Browlee, transcrita em um caderno especial na Folha de São Paulo de 4 de novembro de 1999. "Talvez os cientistas nunca encontrem uma única resposta, um único medicamento capaz de restaurar a saúde de todos os pacientes com câncer, porque um tumor não é igual ao outro". Um tumor começa a se desenvolver quando uma única célula sofre pelo menos duas mutações genéticas que fazem com que ela se reproduza desordenadamente. Ao contrário do que se acreditava no passado, o câncer não é resultado de estados depressivos ou repressão sexual, mas do mau funcionamento dos genes.

Constatamos com esse artigo o que o Espiritismo nos orienta sobre enfermidades.

Não existem doenças e sim doentes, é o que afirma Emmanuel e vimos no artigo da revista Time esse trecho "um tumor não é igual ao outro".
No livro Pensamento e Vida, Emmanuel diz: "Todos os sintomas mentais depressivos influenciam as células em estado de mitose, estabelecendo fatores de desagregação."

Os cientistas falam da célula que sofre mutações genéticas que fazem com que se reproduza desordenadamente, formando o tumor, a diferença está que o Espiritismo insiste no estado depressivo que seria a verdadeira causa e a Ciência não aceita mais a depressão como tal.

A Dra. Marlene Nobre escreveu um artigo no Boletim Médico Espírita de 1986 em julho, portanto, a 14 anos colocando essa temática e incluindo trechos do livro de Emmanuel citado acima, editado em 1971, no qual já encontramos as causas não só do câncer, mas da lepra e da tuberculose que aparecem como fenômenos secundários residindo a causa primária no desequilíbrio dos reflexos da vida interior. Segundo Emmanuel "A cólera e o desespero, a crueldade e a intemperança criam zonas mórbidas de natureza particular no cosmo orgânico, impondo às células a distonia pela qual se anulam quase todos os recursos de defesa, abrindo-se leito fértil à cultura de micróbios patogênicos nos órgãos menos habilitados à resistência." (Pensamento e Vida – cap. 15).

Mas, o desequilíbrio não se instala apenas pelo abuso de nossas próprias forças. Existem os prejuízos que causamos aos outros Emmanuel, ainda em Pensamento e Vida, esclarece "A falta cometida opera em nossa mente um estado de perturbação ao qual não se reúne simplesmente as forças desvairadas de nosso arrependimento, mas também as ondas de pesar e acusação da vítima e quantos se lhe associam ao sentimento, instaurando desarmonias de vastas proporções.”


Tempo virá, diz a Dra. Marlene Nobre, em que as escolas fornecerão aos alunos, desde a mais tenra idade, possibilidade de educar o pensamento, porque elas serão a extensão natural do lar, onde aprendemos sempre a cultivar o perdão, a tolerância, a bondade e o amor, corrigindo nossas tendências destrutivas do passado. “Os médicos, no futuro, agirão muito mais no campo da prevenção das moléstias, atuando, em harmonia com os professores, como construtores da bagagem moral das criaturas”.
O Espiritismo inaugura, portanto, um novo conceito de saúde – a perfeita harmonia da alma.

Que esse futuro chegue o mais rápido possível.
A. Gaspar

Nenhum comentário:

Postar um comentário