20 março 2011

A doença não é uma causa, mas sim uma consequência (2 Parte)



Cada um dos nossos pensamentos, emoções, sensações ou sentimentos negativo, faz com que o perispírito fique imediatamente com uma forma mais densa e que a sua cor fique mais escura, devido à absorção dessas energias nocivas. Durante os momentos de indisciplina, o ser humano mobiliza e atrai fluidos primários, e portanto, grosseiros, que se convertem num resíduo denso e tóxico.

Por causa da sua densidade, estas energias nocivas não conseguem descer logo para o corpo físico e vão-se acumulando no perispírito. Com o passar do tempo, as cargas energéticas nocivas que não forem dissolvidas ou que não descerem ao corpo físico, acabam por prejudicar o funcionamento do perispírito, pois formam manchas e placas que se agarram à superfície deste e que se vão agravar, se a carga nociva que está acumulada for aumentada com desatinos na existência atual.

Nos seus tratados didáticos, a Medicina explica que desde o nascimento físico existem no organismo humano micróbios, bacilos, vírus e bactérias, que são capazes de produzirem várias doenças humanas. Graças à quantidade ínfima de cada tipo de vida microscópica existente, não causam incômodos, doenças ou afecções mórbidas, pois são impedidos de terem uma proliferação além da “quota mínima” que o corpo humano pode suportar sem que adoeça.

 No entanto, quando estes germens, motivados pela presença de energias nocivas no corpo físico, ultrapassam o limite de segurança biológica fixado pela sabedoria da Natureza, começam a proliferar e a destruir os tecidos do seu próprio “hospedeiro”.

Saindo em ondas sucessivas das estruturas energéticas do perispírito em direção ao corpo físico, estas irradiações nocivas criam áreas específicas, onde se instalam e desenvolvem as vidas microscópicas encarregues de produzirem os fenômenos que serão compatíveis com o quadro das necessidades morais do indivíduo.

 Estas vidas microscópicas alimentam-se das energias nocivas que chegam ao corpo físico, conseguindo multiplicar-se muito rapidamente e, por consequência, causando as doenças.
A recuperação do espírito doente só se consegue, mediante a eliminação da carga tóxica de que está impregnado o seu perispírito.

Embora o “pecador” já arrependido esteja disposto a uma reação construtiva no sentido de se purificar, não pode subtrair-se ao império da Lei de Causa e Efeito, que diz que a cada atitude corresponde um efeito de idêntica expressão, que impõe uma retificação de aperfeiçoamento na mesma proporção.

Ou seja, a pessoa terá que se esforçar para repor as energias positivas, tal como se esforçou para gerar as energias negativas que se acumularam no seu perispírito.

Na próxima falaremos da eliminação das energias tóxicas.
Fiquem com Deus

Textos retirados de “A ORIGEM ESPIRITUAL DAS DOENÇAS”

Nenhum comentário:

Postar um comentário