09 setembro 2011

Avanços no tratamento e na prevenção do câncer



Segundo o Dr.Carlos Gil, chefe de 
Pesquisa Clínica do INCA, a individualização
do tratamento é resultado
do conhecimento acumulado
em biologia molecular e celular.
Na prática, isso significa o comum
entendimento entre os médicos de
que cada tumor em cada paciente
pode merecer um tratamento específico.
Duas pessoas da mesma idade
e com um mesmo tipo e tamanho
de tumor, por exemplo, podem
receber tratamentos totalmente
diferentes em função das características
distintas percebidas pelo especialista
por meio de exames cada
vez mais precisos. O avanço na avaliação
do prognóstico vem tornando
o tratamento mais eficaz.
O melhor entendimento das diferentes
formas de manifestação da
doença é um dos fatores que elevou
as taxas de sucesso no tratamento de
câncer infantil, conforme detalha a
chefe de Pediatria do INCA, Sima
Ferman. “O câncer em criança difere
marcadamente do câncer no adulto,
que em muitos casos está relacionado
a fatores ambientais. O câncer
em criança geralmente afeta as células
do sistema sanguíneo e tecidos
de sustentação, enquanto no adulto
atinge as células do epitélio que recobre
os diferentes órgãos. Doenças
malignas da infância, por serem predominantemente
de natureza embrionária,
são constituídas de células
indiferenciadas, porém respondem
de um modo geral melhor aos métodos
terapêuticos atuais”, diz.
“Não se busca a cura e a sobrevida a qualquer custo. 
A qualidade de vida torna-se um motivo tão nobre quanto
a sobrevida do paciente. É importante que o portador mantenha a atividade laborativa, a convivência familiar”, afirma. 
Este entendimento de que a qualidade de vida é um fator fundamental se reflete na busca por cirurgias menos mutiladoras e menos invasivas e em tratamentos menos tóxicos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário